Aleister Crowley: nova tradução de Os Livros Sagrados de Thelema

Grandes autores são conhecidos pela relevância e pelo impacto que suas obras causaram em suas épocas. Autor de dezenas de obras literárias bem-sucedidas e consagrado guru do rock e heavy metal, o legado de ALEISTER CROWLEY é inegável.

Em 2018, sua obra entrou em domínio público. Por ocasião desse marco, que fomentou um recente entusiasmo editorial, pulularam traduções, edições e reedições de obras do autor, cujo interesse já vinha sendo reanimado no Brasil por um reconhecimento da presença do mago na cultura pop, no rock e no heavy metal, em bandas como BLACK SABBATH, LED ZEPPELIN, IRON MAIDEN, BEHEMOT, RAUL SEIXAS e muitos outros.

A fim de celebrar a liberdade de tradução e publicação da obra do mais notável magista e escritor ocultista do século XX, a editora Madras acaba de lançar “Os Livros Sagrados de Thelema”, obra prima de ALEISTER CROWLEY, em nova tradução do professor Dr. Vitor Cei, que também escreveu a introdução e as notas do livro.

A apurada tradução de Vitor Cei procurou captar todos os ritmos, as nuances e os traços estilísticos do original, sem aplainar as asperezas inerentes à linguagem e ao pensamento de Crowley. Assim, leva o leitor de língua portuguesa a redescobrir a força do original, com toda a sua carga de polissemia e vivacidade de expressão.

Texto fundador de Thelema, súmula da cosmovisão de ALEISTER CROWLEY, obra magna da literatura ocultista, “Os Livros Sagrados de Thelema” é uma das obras mais influentes e polêmicas do século XX. Seria a obra um elogio ao mal, escritura satanista, como quiseram alguns? Ou trata-se, antes, de uma espécie de manifesto político, como entenderam outros? Ou nem uma coisa nem outra, mas um convite à libertação? Abre o livro e descobre.

Por Hilde KnopflerFonte: Madras Editora

Sobre o autor

cardealnegro

cardealnegro

Criador da Igreja de Satã do Brasil, o Cardeal Negro está no topo da hierarquia de nossa igreja.

Deixe uma resposta